Marca do CRQ para impressão
Disponível em <https://crqsp.org.br/live-abordou-as-novidades-na-certificacao-de-seguranca-de-alimentos/>.
Acesso em 20/07/2024 às 15h30.

Live abordou as novidades na certificação de segurança de alimentos

Live abordou as novidades na certificação de segurança de alimentos

Apresentação de Pamela Rossi destacou mudanças trazidas pela versão 6 da FSSC 22.000

29 de janeiro de 2024, às 17h16 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

 

Uma live promovida pela Comissão Técnica de Alimentos do CRQ-IV/SP nesta segunda-feira, 29, abordou a última versão do Esquema de Certificação de Segurança de Alimentos FSSC 22.000 versão 6. A nova versão, que entra em vigor em 1º abril de 2024, irá incorporar atualizações da ISO 22003-1:2022, reforçar exigências já estabelecidas na versão 5.1 e estabelecer novos requisitos. A FSSC 22.000 é uma norma que capacita empresas a produzir alimentos seguros.

A palestrante foi a especialista em segurança de alimentos com formação em Ciências dos Alimentos pela Universidade de São Paulo (USP) e mestrado em Tecnologia de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Pamela Rossi, que é diretora da Alimentar Consultoria.

Pamela iniciou a live explicando que a FSSC 22.000 reúne aspectos da ISO 22.002, da ISO 22.002 e ainda requisitos adicionais inseridos pela FSSC. As mudanças ocorreram para incorporar alterações da ISO 20.003-1 de 2022 e também os objetivos sustentáveis da ONU, compostos por 17 pontos, e neste caso, mais especificamente, para se buscar o objetivo 12, que defende a redução do desperdício de alimentos no mundo.

Entre as mudanças na norma ela citou a redução de 9 para 5 anexos; 11 requisitos foram alterados, especialmente com novas exigências; houve ainda a inclusão de 5 requisitos novos, de assuntos não abordados anteriormente, como a gestão de equipamentos.

Ela destacou o requisito 2.5.2, que trata da adequação das informações constantes nos rótulos dos produtos, e o requisito 2.5.6 sobre a presença de alergênicos nos alimentos, itens que já existiam mas ganharam ênfase nesta nova versão. Também houve mudanças no requisito 2.5.7, sobre monitoramento ambiental, para evitar contaminações dos alimentos no ambiente de produção.

Novidades da norma

Um requisito novo é o 2.5.13  sobre prazo de validade, que trata sobre verificações frequentes nos produtos com frequência baseada nos riscos. Pamela também citou o 2.5.8, sobre cultura de segurança de alimentos. Ela afirma que a empresa deve definir objetivos para atingir a segurança dos alimentos, como a capacitação de funcionários e a redução de falhas, como na limpeza do setor de produção. O item 2.5.9 trata do controle de qualidade, incluindo a adoção de uma política e objetivos de qualidade, por exemplo.

O item 2.5.15 trata da gestão de equipamentos, e determina que eles devem atender especificações sanitárias, entre outras questões. O requisito 2.5.16 trata do controle de perdas e do desperdício de alimentos, que visa alcançar um dos objetivos da ONU. Ao final, a palestrante respondeu às perguntas dos participantes.

A live foi acompanhada por mais de 190 pessoas e está disponível neste link.

 

 

 

 

 

Compartilhar