Marca do CRQ para impressão
Disponível em <https://crqsp.org.br/sistema-cfq-crqs-integra-comitiva-brasileira-da-cop-28/>.
Acesso em 03/03/2024 às 13h27.

Sistema CFQ/CRQs integra comitiva brasileira da COP 28

Sistema CFQ/CRQs integra comitiva brasileira da COP 28

Representante participará de painel sobre transição energética, marcado para 5 de dezembro

30 de novembro de 2023, às 14h57 - Tempo de leitura aproximado: 4 minutos

 

O Sistema CFQ/CRQs se fará presente na maior delegação brasileira da história das reuniões da COP, o colegiado das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. A COP 28 começou hoje em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e se prolongará até 12 de dezembro. Integrantes do Sistema participarão dando destaque ao entendimento de que a Química e seus profissionais são fundamentais no enfrentamento das mudanças climáticas: o Sistema CFQ/CRQs foi o único entre os sistemas de conselhos profissionais a ser convidado a compor a delegação brasileira.

O conselheiro Rafael Almada participará do painel “Transição Energética no Sul Global”

O Sistema será representado pelo conselheiro federal, membro da diretoria do CFQ e reitor do IFRJ e ex-presidente do CRQ III Região (RJ), Rafael Almada, que participará de um painel intitulado “Transição Energética no Sul Global”. Segundo os organizadores, a proposta é “oferecer uma perspectiva abrangente sobre os desafios prementes e as oportunidades inerentes à mudança de paradigma energético em regiões do Sul Global – ao destacar desafios específicos e compartilhar experiências bem-sucedidas, busca-se catalisar a colaboração e inspirar a implementação de soluções práticas e adaptáveis”.

O evento, coordenado pelo Consórcio Brasil Verde, está previsto para 5 de dezembro, das 9h às 10h15 (horário de Dubai), no auditório 2 do Pavilhão do Brasil. O Consórcio Brasil Verde, por meio de seu presidente, o governador do Estado do Espírito Santo, Renato Casagrande, convidou o Sistema CFQ/CRQs a integrar a comitiva brasileira. O Consórcio Brasil Verde é composto por 15 estados e é considerado o maior consórcio climático do planeta.

“Vamos fazer um painel muito importante, contextualizando a transição energética no Sul global. Essa transição certamente contará com a participação dos profissionais da Química e poderemos falar das possibilidades que se abrem e o nosso papel nessa mudança. Vários representantes do Brasil estarão presentes e nós vamos promover a desejável troca de experiências para avançar na proteção do meio ambiente”, afirmou Almada.

O presidente do Conselho Regional de Química da 14ª Região (CRQ XIV – Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima) e coordenador do Comitê de Relações Institucionais e Governamentais do CFQ (CRIG), Gilson Mascarenhas, celebra o fato de que os profissionais da Química se consolidam neste momento nos debates globais acerca do meio ambiente, condição que não havia antes.

“O objetivo maior é a integração do sistema CFQ/CRQs em toda essa agenda ambiental, algo que envolve o mundo. Em especial, dentro do próprio Brasil, teremos a oportunidade de promover a nossa interação junto aos painéis das diversas entidades nacionais que estarão na COP 28. Será uma oportunidade incrível para trazermos visibilidade para o Sistema e as pautas que são de interesse dos profissionais da Química”, destacou Mascarenhas.

Além da palestra em que Almada será um dos debatedores, a participação do Sistema CFQ/CRQs na COP 28 se estende para outros painéis. Além de acompanhar os debates, a comitiva terá uma oportunidade de interagir com debatedores do Brasil e do Exterior e levar um pouco da experiência dos profissionais da Química nacionais na inovação e na busca de soluções sustentáveis. Para o presidente do Conselho Federal de Química (CFQ), José de Ribamar Oliveira Filho, a COP 28 representa um marco para a Química brasileira.

“O espírito com que estamos indo é o de contribuir e aprimorar. Nossa participação nessa delegação é muito importante, é algo inédito para o Sistema CFQ/CRQs. Nos sentimos honrados em integrar a comitiva e participar desse protagonismo do Brasil e dos profissionais da Química”, assinalou.

O presidente do Conselho Regional de Química da 21ª Região (CRQ XXI – Espírito Santo), Alexandre Vaz Castro, afirma que o encontro em Dubai permitirá ao Sistema o ingresso em um assunto que será decisivo nas próximas décadas.

“A participação do nosso sistema na COP 28 possibilitará a interação com os principais protagonistas da maior pauta desse planeta nos próximos 50 anos: a questão do clima é de sobrevivência de nossa espécie e do planeta! Temos que destacar as três moléculas químicas que são estão citadas nos debates em qualquer COP. São o dióxido de carbono, o metano e o hidrogênio. Se não estivermos nesse cenário de adaptação e mitigação como um dos atores principais, estaremos correndo o sério risco de perder o ‘time’ de um momento importantíssimo da história da civilização mundial”, concluiu o presidente do CRQ capixaba.

A presidente do Conselho Regional de Química da 19ª Região (CRQ XIX – Paraíba) e coordenadora do Colégio de Presidentes (Copresi), Raquel Lima, acredita que o Brasil e o Nordeste, especialmente, estão em posição privilegiada para contribuir com a temática dominante da COP 28.

“Temos um orgulho muito grande de termos sido convidados. Entendemos que a Química tem uma posição de destaque em vários dos temas relativos às mudanças climáticas – e eu poderia citar rapidamente aqui a transformação da matriz energética, o desenvolvimento de plantas produtivas de hidrogênio de baixo carbono, como um dos mais importantes”, concluiu Raquel.

Com informações do Conselho Federal de Química

 

 

 

Compartilhar