Marca do CRQ para impressão
Disponível em <https://crqsp.org.br/mais-plural-tecnica-e-com-atencao-a-questao-do-gas-natural-frente-parlamentar-da-quimica-2023-e-lancada-em-brasilia/>.
Acesso em 17/04/2024 às 06h49.

Frente Parlamentar da Química 2023 é lançada em Brasília

Frente Parlamentar da Química 2023 é lançada em Brasília

Grupo formado por senadores e deputados irá atuar em favor do setor no parlamento

20 de abril de 2023, às 12h21 - Tempo de leitura aproximado: 4 minutos

Evento teve início com pronunciamento do deputado Afonso Motta, presidente da FPQuímica

Foi realizada na manhã da quarta-feira (19/04), no Salão Nobre do Congresso Nacional, a solenidade de lançamento da nova legislatura da Frente Parlamentar da Química (FPQuímica), grupo de parlamentares da Câmara e do Senado que atuam em favor do setor no parlamento. O presidente na legislatura que se inicia seguirá sendo o deputado federal Afonso Motta (PDT-RS). 

Na abertura do evento, o presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), André Passos, apresentou números representativos do setor. Como meta, ambiciosa, ele propôs um direcionamento de esforços que levem a indústria química do Brasil do posto de 6ª maior no mundo para o 4º lugar. Para a conquista desses objetivos, porém, Passos apontou a necessidade de barateamento e aumento da oferta de gás natural – um dos insumos mais relevantes e basilares para a indústria química. 

“Além da questão do gás natural, que é de profunda importância, a gente tem aqui um começo do caminho. A essa pauta se agrega o desenho de uma política industrial para o Brasil. Uma política industrial ampla e voltada para a economia circular, que utiliza insumos renováveis. A Química tem uma grande contribuição a dar nesse aspecto”, afirma Passos. 

A presidente do Instituto Nacional do Desenvolvimento da Química (IdQ), Juliana Marra, apresentou um compilado de sete temas que receberão atenção do instituto, que foi criado em 2021 e tem hoje como função exercer a secretaria executiva da Frente Parlamentar, promovendo seminários, workshops e encontros de interesse da indústria química. Os temas escolhidos pelo IdQ versam sobre energia elétrica, financiamento da produção, infraestrutura e logística, reforma tributária, comércio exterior, política industrial e saneamento básico. 

“É um orgulho estar aqui representando esse grupo de entidades que atua junto ao IdQ. Temos muitas pautas, não apenas aqui mas também junto ao Executivo. O trabalho colaborativo será contínuo, pretendemos trabalhar muito e já nos dispusemos a colaborar com os parlamentares”, afirmou Juliana.

O deputado que presidirá a FPQuímica, por sua vez, disse ter a dimensão do desafio de conduzir os trabalhos voltados a Química no Congresso. Ele fez um apanhado histórico do perfil dos ex-presidentes da Frente e apresentou os integrantes da Comissão Executiva (lista ao final desta matéria) e defendeu que a indústria Química busque no parlamento, cada vez mais, a representatividade que possui dentro do setor produtivo brasileiro.

“Temos um desafio muito grande no parlamento. A simultaneidade das ações é grande aqui. As matérias, quando chegam às comissões temáticas, é fundamental contar com essa participação. Há um comprometimento do parlamento em favor da representatividade, isso desde 2012, quando a FPQuímica teve início. Em 2023 teremos essa ampliação, o que tem um significado muito importante”, afirmou.

O governo federal, no evento de lançamento da FPQuímica, esteve representado pelo secretário de Desenvolvimento Industrial, Comércio, Serviços e Inovação do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços, Uallace Moreira Lima. Ele levou aos participantes a visão do governo federal, que está comprometido com a reindustrialização do país.

“Procuramos fazer da pauta da reabilitação da indústria, aquilo que o vice-presidente e ministro Geraldo Alckmin tem definido como neo-industrialização, uma política de Estado, e não de governo. Por que isso? Porque esse processo demanda tempo, não temos efeitos de curto prazo quando tratamos de política industrial, de inovação ou de sustentabilidade”, afirmou Uallace. 

 

Da esquerda para a direita, o diretor executivo da Abipla, Paulo Engler; a presidente da Abipla e do IdQ, Juliana Marra; o presidente executivo da Abiquim, André Passos; o deputado federal Reimont (PT-RJ); o presidente do CFQ, José de Ribamar Oliveira Filho; e o presidente do CRQ-RJ, Rafael Almada.

 

Os parlamentares que compõem a Frente Parlamentar da Química

Afonso Motta (PDT-RS) – Presidente

Kiko Celeguim (PT-SP) – Vice-presidente na Câmara

Vitor Lippi (PSDB-SP) – Coordenador-regional Sudeste

Ivoneide Caetano (PT-BA) – Coordenadora-regional Nordeste

Evair de Melo (PP-ES) – Coordenador Estadual do Espírito Santo

Reimont (PT-RJ) – Coordenador Estadual do Rio de Janeiro

Márcio Biolchi (MDB-RS) – Coordenador Estadual do Rio Grande do Sul

Carlos Zarattini (PT-SP) – Coordenador de Relações Institucionais

Carlos Gomes (REP-RS) – Coordenador de Sustentabilidade

Alceu Moreira (MDB-RS) – Coordenador de Logística Reversa

Zé Neto (PT-BA) – Coordenador de Política Industrial

Vinicius Carvalho (REP-SP) – Coordenador de Reciclagem

Lucas Redecker (PSDB-RS) – Coordenador de Gestão de Substâncias Químicas

Julio Lopes (PP-RJ) – Coordenador de Inovação

Fernando Marangoni (UNIÃO-SP) – Coordenador de Saneamento Básico

Arnaldo Jardim (CID-SP) – Coordenador de Fertilizantes

Daniel Almeida (PC do B-BA) – Coordenador de Ciência e Tecnologia

Eduardo Gomes (SDD-TO) – Coordenador de Saúde

 

Com informações do CFQ

Compartilhar