Marca do CRQ para impressão
Disponível em <https://crqsp.org.br/etec-irma-agostina-disputa-final-do-premio-jovem-da-agua-de-estocolmo/>.
Acesso em 18/05/2024 às 20h25.

Etec Irmã Agostina disputa final nacional do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo

Etec Irmã Agostina disputa final nacional do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo

O vencedor, que vai representar o Brasil na final internacional, será conhecido no dia 22 de maio

19 de maio de 2023, às 15h40 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

Na foto, da esquerda para a direita: Prof. Klauss, Raíssa e a Profa. Thais / Foto: Divulgação

 

Um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) elaborado por aluna do Ensino Médio Integrado ao Técnico em Química da Escola Técnica Estadual (Etec) Irmã Agostina, da Capital, está disputando a final nacional do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo. O vencedor será anunciado no dia 22 de maio, durante o 32º Congresso da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, que ocorrerá em Belo Horizonte (MG). O ganhador desta etapa irá representar o Brasil na final internacional, prevista para ocorrer na segunda quinzena de agosto, durante a Semana Internacional da Água, em Estocolmo, na Suécia.

A competição recebeu projetos relacionados à água, meio ambiente, sustentabilidade e/ou saneamento com significância ambiental, científica, social ou tecnológica. A final nacional selecionou, no total, cinco projetos – os demais finalistas são de instituições de ensino de outros estados.

A unidade do Centro Paula Souza (CPS) concorre com o trabalho Biossorventes Utilizados no Processo de Remoção de Paracetamol em Efluentes: Estudo da Eficácia entre a Cinza e o Pó da Casca de Arroz, desenvolvido pela aluna Raíssa Borges de Oliveira Leal, sob orientação do professor Klauss Engelmann e coorientação da professora Thaís Taciano dos Santos.  

Ao iniciar as pesquisas para o TCC, a estudante viu que o paracetamol é um princípio ativo de medicamentos analgésicos muito utilizado pela sociedade. O seu uso e descarte são feitos, muitas vezes, de forma incorreta, ocasionando a poluição da água e do solo. Geralmente, esses compostos orgânicos não são totalmente retirados nos métodos de tratamento utilizados pelas Estações de Tratamento de Esgoto e Água (ETE e ETA).

“É possível encontrar a presença desse fármaco em águas superficiais e potáveis ao redor do mundo. O nosso projeto visa alertar a comunidade sobre o problema silencioso que é a poluição por fármacos, levantando o uso de biossorventes derivados da casca de arroz como uma possível solução e promovendo a conscientização sobre a necessidade do descarte correto de medicamentos”, comenta Raíssa.

A estudante analisou como seria possível remover o paracetamol da água com os resultados do preparo dos biossorventes em pó e cinzas a partir da casca de arroz in natura. “Por ser um subproduto com baixo valor agregado, a casca de arroz é uma solução de baixo custo, ecológica e sustentável para o tratamento do paracetamol em efluentes. Tive o objetivo de avaliar qual das metodologias é a mais eficaz e benéfica para o meio ambiente e a indústria”, explica Raíssa.

Os resultados obtidos a partir das análises mostram que os biossorventes são eficazes na remoção do paracetamol. A cinza se mostrou mais eficiente, apresentando adsorção de 51,31 mg de paracetamol por grama de cinza, com uma taxa de sucesso de 61%, em 15 minutos. Já o pó da casca apresentou adsorção de 11,06 miligramas de paracetamol por grama de pó de casca, com uma taxa de sucesso de 56%, em 60 minutos.

Sobre o prêmio

Organizada pelo Stockolm International Water Institute (SIWI) desde 1997, a competição tem por objetivo congregar jovens inovadores de todo o mundo, incentivar seu interesse continuado em água e sustentabilidade e reconhecer o mérito de iniciativas de destaque. Podem participar estudantes das Etecs e das demais instituições de ensino matriculados no Ensino Médio ou que já tenham concluído esse ciclo de estudos.

Promovida no Brasil desde 2017, a competição, neste ano, será realizada no centro de eventos Expominas BH, localizado em Belo Horizonte, Minas Gerais. O vencedor brasileiro vai disputar a final internacional com competidores de outros países. O desafio é uma forma de estimular o interesse pelo trabalho de iniciação científica entre os jovens de nível médio que têm de 15 a 20 anos de idade.

Serviço:
Final Nacional 2023 Prêmio Jovem da Água de Estocolmo
Data: 22 de maio
Local: Expominas BH
Endereço: Av. Amazonas, 6.200, Gameleira – Belo Horizonte/MG 

 

Com informações do Centro Paula Souza

Compartilhar