Marca do CRQ para impressão
Disponível em <https://crqsp.org.br/crq-iv-sp-promove-live-sobre-energia-nuclear/>.
Acesso em 03/03/2024 às 13h12.

CRQ-IV/SP promove live sobre energia nuclear

CRQ-IV/SP promove live sobre energia nuclear

Tema foi apresentado por especialista do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

23 de novembro de 2023, às 18h29 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

Engenheiro do Ipen, Zeituni contou como a bomba atômica foi desenvolvida na década de 1940 

 

O CRQ-IV/SP promoveu nesta quinta-feira uma live em seu canal no YouTube com o tema Energia Nuclear. O palestrante convidado foi o engenheiro Carlos Alberto Zeituni, que atua no Centro de Tecnologia das Radiações (CETER), uma das divisões do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Zeituni também integra a Comissão Nacional de Energia Nuclear.

Ao abrir a palestra ele citou uma frase de Patrick Moore, fundador do Greenpeace: a energia nuclear é a mais segura de todas as tecnologias de eletricidade que temos. Afirmou que a energia nuclear é utilizada na cura de doenças, como a radioterapia para o câncer; para matar bactérias em alimentos, como em frutas exportadas pelo Brasil; e em obras de arte, para eliminar fungos. Por causa de suas várias aplicações, pode-se dizer que a energia nuclear está em nosso dia a dia, salientou.

O especialista explicou como é produzida a energia nuclear por meio da fissão nuclear e os usos da energia gerada por uma usina nuclear. Na natureza o único material físsil existente é o isótopo urânio 235, mas usa-se também o plutônio-239 como combustível para um reator nuclear ou para armamentos.

Ele contou como os Estados Unidos desenvolveram a bomba atômica na década de 1940 e deu detalhes sobre o Projeto Manhattan, liderado pelo físico Robert Oppenheimer, além de revelar como foram desenvolvidas as armas nucleares e as bombas lançadas sobre o Japão na Segunda Guerra Mundial.

Afirmou que há grande demanda por Químicos e Engenheiros Químicos na área da energia nuclear. Trata-se, segundo afirmou, de um campo interessante, inclusive, para estudantes que estão iniciando a faculdade agora. As áreas com as maiores demandas são as de radiotraçadores em reações e especialistas em separações isotópicas de materiais radioativos.

Zeituni também falou do filme sobre Oppenheimer, baseado na biografia do físico, e listou alguns erros históricos que verificou na película. O mais importante desses erros foi uma conversa entre Oppenheimer e Einstein – que não ocorreu – a respeito de uma possível destruição da Terra em caso de explosão de uma bomba atômica, como se imaginava que pudesse acontecer em 1943. Na verdade, Oppenheimer discutiu a mesma questão com o cientista Robert Teller e não com Einstein.

A live foi assistida por 150 pessoas e está disponível neste link.

 

 

Compartilhar