Marca do CRQ para impressão
Disponível em <https://crqsp.org.br/conselho-fiscaliza-empresas-sinistradas/>.
Acesso em 13/07/2024 às 00h58.

Conselho fiscaliza empresas sinistradas

Conselho fiscaliza empresas sinistradas

Entidade aguarda laudos para dar prosseguimentos às apurações

18 de agosto de 2023, às 16h34 - Tempo de leitura aproximado: 4 minutos

Dois graves acidentes em indústrias químicas paulistas foram registrados no dia 22 de junho. Para apurar as circunstâncias do que ocorreu, fiscais do CRQ-IV/SP vistoriaram as duas empresas e elaboraram relatórios preliminares com suas conclusões.

Um dos acidentes se deu na deu na fábrica Coldemar Resinas Sintéticas, de Várzea Paulista, no interior de São Paulo, e deixou cinco pessoas feridas. A explosão de uma caldeira causou um grande incêndio e lançou destroços do telhado sobre várias casas vizinhas. O incêndio foi controlado em poucas horas.

Um agente fiscal do CRQ-IV/SP foi ao local para uma vistoria, e não foi constatada a presença de colaboradores, apenas da segurança patrimonial, que impediu o acesso de pessoas ao interior da fábrica. Em contato telefônico com o Responsável Técnico da empresa, o Conselho foi informado de que ninguém estava autorizado a entrar na empresa até que o local fosse liberado pela Defesa Civil.

 

Explosão de caldeira causou incêndio em fábrica de resinas – Foto: Ag. Brasil

 

Dois graves acidentes em indústrias químicas paulistas foram registrados no dia 22 de junho. Para apurar as circunstâncias do que ocorreu, fiscais do CRQ-IV/SP vistoriaram as duas empresas e elaboraram relatórios preliminares com suas conclusões.

Um dos acidentes se deu na deu na fábrica Coldemar Resinas Sintéticas, de Várzea Paulista, no interior de São Paulo, e deixou cinco pessoas feridas. A explosão de uma caldeira causou um grande incêndio e lançou destroços do telhado sobre várias casas vizinhas. O incêndio foi controlado em poucas horas.

Um agente fiscal do CRQ-IV/SP foi ao local para uma vistoria, e não foi constatada a presença de colaboradores, apenas da segurança patrimonial, que impediu o acesso de pessoas ao interior da fábrica. Em contato telefônico com o Responsável Técnico da empresa, o Conselho foi informado de que ninguém estava autorizado a entrar na empresa até que o local fosse liberado pela Defesa Civil.

O Responsável Técnico da Coldemar Resinas Sintéticas informou ainda que houve uma explosão em um dos reatores durante o processo de fabricação de resina fenólica, sendo a causa provável a contaminação do paraformaldeído com um possível veículo catalítico. Ainda não havia sido feito nenhum boletim de ocorrência. Para obter informações complementares sobre o acidente, o Departamento de Fiscalização do CRQ-IV/SP fará nova vistoria na empresa assim que for liberado o acesso ao local do incêndio pela Defesa Civil.

Braskem

O segundo acidente foi um incêndio em um tanque de gasolina que passava por manutenção na unidade da Braskem do Polo Petroquímico de Capuava, em Santo André. Uma pessoa morreu e duas ficaram feridas. Um fiscal do CRQ-IV/SP esteve no loca, e foi acompanhado pelo Responsável Técnica e por uma advogada da empresa.

De acordo com o Responsável Técnico da unidade, as causas do acidente ainda não são conhecidas e continuam sendo investigadas. Ele relatou que após a ocorrência de um estrondo, iniciou-se um incêndio na área de armazenamento de produtos químicos aromáticos (tolueno), onde existem quatro tanques. O acidente ocorreu em apenas um desses tanques, que no momento do acidente passava por manutenção a cargo de funcionários de uma empresa terceirizada.

 

                                                                                                                                                 Vídeo: Sindicato dos Químicos do ABC

O Responsável Técnico da unidade da Braskem informou ainda que no momento do acidente os sistemas de contenção de incêndio de estrutura física foram ativados, consistindo em cortina d’água e câmara geradora de espuma, e o fogo foi contido após uma hora. O resfriamento da área atingida levou 3 horas. Foram acionados a brigada de incêndio e o Plano de Auxílio Mútuo, que inclui o Corpo de Bombeiros. A Cetesb, a Polícia Civil e a Agência Nacional de Petróleo compareceram ao local, e ainda não emitiram laudos conclusivos sobre as causas do sinistro.

Não houve interdição de funcionamento da empresa pelos órgãos competentes, sendo que as atividades estão sendo desenvolvidas normalmente, e somente a área sinistrada é preservada para realização de investigações pelo Instituto de Criminalística da Polícia Civil.

O Departamento de Fiscalização do CRQ-IV/SP decidiu aguardar o encaminhamento dos laudos conclusivos emitidos pelos órgãos competentes com as causas do incêndio para dar prosseguimento às apurações de possíveis responsáveis.

 

 

Compartilhar