Marca do CRQ para impressão
Disponível em <https://crqsp.org.br/cfq-apresenta-campanha-contra-mistura-de-produtos-de-limpeza/>.
Acesso em 23/05/2024 às 06h25.

CFQ apresenta campanha contra mistura de produtos de limpeza

CFQ apresenta campanha contra mistura de produtos de limpeza

Representantes da entidade estiveram reunidos com Webert Gonçalves de Santana, coordenador de Saneantes da Anvisa

4 de abril de 2023, às 17h50 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

Lima Filho, Comin e Santana durante encontro realizado dia 31/03 na sede da agência reguladora, em Brasília. Foto: CFQ

O Sistema CFQ/CRQs apresentou o seu Hub de Combate à Desinformação ao coordenador de Saneantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Webert Gonçalves de Santana. A iniciativa foi detalhada pelos conselheiros federais do CFQ Ubiracir Fernandes Lima Filho e Jonas Comin, na sede da agência reguladora, em Brasília, na última sexta-feira, dia 31 de março. 

O Hub de Combate à Desinformação conta com a parceria de associações, fundações, confederações, agências reguladoras, indústrias, profissionais do setor, imprensa, universidades, sociedade e entidades que dialogam com o Sistema CFQ/CRQs. A Anvisa já apoia diversas iniciativas do Conselho Federal de Química (CFQ) e a ideia é ampliar ainda mais essa contribuição.

“Essa é outra forma em que a gente precisa atuar efetivamente todos os dias, porque essas informações equivocadas, que a gente chama de fake news, trazem riscos e malefícios à saúde. São ações que a gente pode dirimir dúvidas de forma rápida, fazendo com que cheguem pelo celular com a mesma velocidade que as informações falsas são propagadas”, afirmou Webert Santana.

Fake news – Desde o início da pandemia de covid-19, o CFQ vem capitaneando ações, em conjunto com outras entidades, para combater a disseminação de informações falsas, principalmente, nas redes sociais. As mais recentes estão relacionadas às misturas dos produtos de limpeza (*).

Por esse motivo, a entidade lançou o workshop “Limpando conceitos, clareando ideias”, com o objetivo de combater a viralização dos vídeos que incentivam a sociedade a fazer misturas indevidas. A iniciativa foi apresentada em 2022, em parceria com a Associação Brasileira de Indústrias de Produtos de Higiene, Limpeza e Saneantes (Abipla).

Para Santana, esse tipo de desinformação também pode ser combatido por meio da conscientização dos consumidores sobre a rotulagem dos produtos o que naturalmente passa pela regulação da Anvisa, cujas formulações e componentes contam com a atuação dos profissionais da química.

Mistura Explosiva – Por meio do workshop, o Sistema CFQ/CRQs e a Abipla oferecem a jornalistas e formadores de opinião informações essenciais sobre os cuidados na apuração de fake news, que envolvem misturas caseiras de produtos de limpeza, prática condenada pela Agência, e cuidados com a veiculação de informações sobre produtos químicos em geral. O workshop já ocorreu em Brasília, São Paulo e, na última segunda-feira (3/4), foi promovido no Rio de Janeiro.

Como parte da programação, os participantes conheceram o jogo de tabuleiro “Mistura Explosiva”. No decorrer da partida, eles recebem informações de forma lúdica sobre os riscos de misturar produtos de limpeza por conta própria; a importância de se utilizar apenas saneantes aprovados pela Anvisa; a necessidade de se atentar aos rótulos; e como a mistura de produtos aparentemente inofensivos pode dar origem a gases com capacidade tóxica.

 

Com informações do Conselho Federal de Química

 

(*) O CRQ-IV/SP também teve atuação destacada no auge da pandemia, combatendo informações falsas e, principalmente, denunciando os riscos das chamadas “cabines de desinfecção”, que começaram a ser instalados em locais de grande movimento, como parques, shoppings, hipermercados, estádios, terminais de ônibus e até estações de trem e metrô, pelas quais os frequentadores eram estimulados a passar para que fossem pulverizados com uma solução química. O objetivo seria eliminar os microrganismos, inclusive o novo coronavírus, que as pessoas teriam sobre seu corpo e roupa.

A Câmara Municipal de São Paulo chegou a aprovar um projeto de lei obrigando a instalação desses dispositivos. Em agosto de 2020, o presidente do CRQ-IV/SP, Hans Viertler, enviou ofício ao então prefeito Bruno Covas pedindo veto total ao projeto. Citando pareceres elaborados pelo Conselho e notas técnicas publicadas pela Anvisa, Viertler alertou o prefeito sobre a inexistência de evidências científicas quanto à eficácia dessas estruturas e o advertiu que a pulverização de produtos químicos não fabricados para esse fim sobre as pessoas poderia causar sérios danos à saúde, inclusive cegueira. No dia 10 de setembro, citando os mesmos pareceres, Covas vetou o projeto.

 

 

Compartilhar