Marca do CRQ para impressão
Disponível em <https://crqsp.org.br/320325-2/>.
Acesso em 23/05/2024 às 05h06.

Especialistas discutem a implementação de sistemas de qualidade

Especialistas discutem a implementação de sistemas de qualidade

11 de novembro de 2022, às 11h41 - Tempo de leitura aproximado: 4 minutos

Para comemorar o Dia Mundial da Qualidade, o CRQ-IV promoveu ontem um seminário on-line com foco em criatividade, gerenciamento de mudanças e integração de sistemas.

A relação entre qualidade e criatividade foi discutida por Carlos Alberto Trevisan, consultor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para treinamento de inspetores sanitários e para a Certificação em normas da série ISO. “A criatividade é a base para todas as mudanças”, disse ele, que também é conselheiro suplente do CRQ-IV.

Segundo Trevisan, a criatividade é a capacidade de transformar ou criar novos métodos e ferramentas para executar tarefas de maneira original. Quem tem a criatividade apurada é capaz de analisar a questão sob diferentes perspectivas, vislumbrar saídas inusitadas e inovar. Para isso, é necessário conhecer e dominar os processos de trabalho. A falta de incentivo à inovação e à criatividade nas organizações pode afetar inclusive a sua competitividade de mercado.

O especialista disse ainda que uma comunicação eficiente também é a fundamental para que haja melhoria dos processos em uma empresa. “Muitas coisas não acontecem porque a comunicação é mal feita”, salientou.

Na avaliação de Trevisan, todos somos criativos; temos apenas que incentivar o desenvolvimento dessa habilidade. O brainstorming é um bom recurso para explorar a criatividade dentro das organizações, desde que seja bem conduzido e dê espaço para que todos exponham suas ideias.

Riscos – A seguir, Milton Balotin, que atua como instrutor em Implementação de Sistema de Qualidade e é membro da Comissão Técnica de Cosméticos (CTCOS) do CRQ-IV, disse que ao longo da história as empresas e órgãos regulatórios se deram conta de que as mudanças em seus processos, embora necessárias, se configuram como momentos de maior potencial de riscos para o negócio.

Segundo ele, é importante estar atento ao item 3.4.1 da RDC 48/2013 que afirma que a qualidade de um produto deve ser determinada antes da sua comercialização. Os estudos devem ser repetidos sempre que qualquer mudança significativa for implementada, seja na formulação, nos fornecedores, nos equipamentos, nos materiais de embalagem, entre outros.

Essas mudanças são classificadas em níveis de criticidade: menor, maior e crítica, que por seu grau de risco necessita da aprovação do gestor da empresa. Segundo Balotin, o gerenciamento dessas mudanças permite sistematizar e documentar os processos, além de mitigar os riscos para os negócios.

Entre os estudos de caso apresentados por ele, está o de um creme dental que endurecia no interior da bisnaga. Isso ocorreu porque o fornecedor modificou o processo de produção da matéria-prima principal (CaCO3), aumentando o porcentual de material coloidal. A empresa em questão precisou recolher 500 toneladas do produto em todo o País.

Gestão – A última palestra da tarde foi ministrada por Enilce Oetterer, vice-presidente da Associação Brasileira de Cosmetologia, diretora-sócia da Encosmética Consultoria e membro da CTCOS. A qualidade nas organizações é fundamentada no cumprimento de requisitos técnicos para gerar produtos, serviços e processos em conformidade com os padrões definidos, explicou.

O Sistema de Gestão da Qualidade, portanto, é um conjunto de processos que devem ser implementados para atender à política da qualidade e os objetivos da empresa. Certificações com o a ISO 9001, da Gestão da Qualidade; a ISO 14001, da Gestão Ambiental; e a ISO 37001, da Gestão Antissuborno, integram esse rol de qualidade.

Em suma, segundo Enilce, a ISO 9001 atesta a capacidade de oferecer produtos e serviços adequados, está relacionada à satisfação do cliente e é aplicável a qualquer tipo de empresa. A ISO 14001 também pode ser aplicada em qualquer organização e ganha cada vez mais destaque, já que o tema da preservação ambiental vem sendo amplamente discutido em todo o mundo. Já a ISO 37001 se aplica no combate e prevenção à corrupção. A unidade de compliance das empresas é responsável para garantir o cumprimento dessas e outras leis, regras e regulamentos que sejam aplicáveis ao negócio.

Para otimizar recursos e reduzir custos, Enilce disse ser possível que a empresa adote o Sistema de Gestão Integrado – SGI, um tipo de software que permite organizar as operações e facilitar a execução dos processos internos. Segundo ela, a implementação dos sistemas de gestão também pode ser facilitada com o uso da metodologia Ciclo de Deming – que envolve etapas de planejamento, suporte e operação, avaliação de desempenho e melhoria continua –, com a elaboração de um plano de ação e com a definição de indicadores estratégicos capazes de guiar as decisões dentro da empresa e avaliar a eficiência dos processos.

O Seminário do Dia Mundial da Qualidade foi encerrado com uma rodada de perguntas feitas pelos participantes. O encontro foi mediado por Silvana Nakayama e Matheus Vieira, membros CTCOS. A íntegra da live está disponível no canal do Conselho no YouTube.

 

Compartilhar